top of page

Projeto de Lei sobre as Rendas do Exterior Consideradas de Fonte Uruguaia

Nos últimos meses, foi discutido no Uruguai um projeto de lei que visa mudar a forma como as rendas do exterior consideradas de fonte uruguaia são tributadas. A seguir, explicamos em que consiste esse projeto de lei e quais são suas implicações para os contribuintes.


Antes de entrar em detalhes sobre o projeto de lei, é importante entender o que se entende por rendas do exterior consideradas de fonte uruguaia. Em termos gerais, trata-se das rendas obtidas por pessoas físicas ou jurídicas residentes no Uruguai através de investimentos ou negócios realizados no exterior. Por exemplo, uma pessoa que tenha uma conta bancária no exterior e receba juros por seus depósitos estaria obtendo uma renda do exterior considerada de fonte uruguaia.

Até agora, as rendas do exterior consideradas de fonte uruguaia são tributadas no Uruguai apenas se forem remetidas ao país. Isso significa que, se um contribuinte residente no Uruguai obtém uma renda do exterior e decide deixá-la no exterior, não paga impostos no Uruguai por essa renda.


O projeto de lei que está sendo discutido visa mudar essa situação. Em concreto, propõe-se tributar as rendas do exterior consideradas de fonte uruguaia mesmo que não sejam remetidas ao país. Ou seja, se um contribuinte residente no Uruguai obtém uma renda do exterior, deverá pagar impostos no Uruguai por essa renda, independentemente de se a remete ao país ou não.


Este projeto de lei gerou controvérsia entre os contribuintes e especialistas em tributação. Por um lado, os defensores da medida argumentam que é necessária para evitar a evasão fiscal e para equiparar o tratamento das rendas do exterior com o das rendas obtidas no país. Segundo eles, é injusto que os contribuintes que remetem suas rendas ao exterior paguem impostos no Uruguai, enquanto os que as deixam no exterior não o fazem.



留言


Logins recentes
bottom of page